Publicidade

Novembro azul: Câncer de próstata também afeta o seu cão

Novembro azul: Câncer de próstata também afeta o seu cão
Publicidade

Este é o mês de prevenção contra o câncer de próstata, e geralmente sabemos de seres humanos desenvolvendo câncer de próstata, mas os cães também podem desenvolver a mesma doença.

Na verdade, o câncer de próstata ocorre muito mais em cães em comparação com seres humanos. Isso representa 0,67% de todo o câncer maligno relatado em cães. O câncer de próstata tem um potencial metastático, isto é, de se espalhar, muito alto e pode se alastrar para órgãos como os pulmões, ossos e linfonodos.

Antes de aprofundarmos neste assunto, é importante para entendermos como a próstata funciona em cães. A próstata é uma glândula localizada atrás da bexiga urinária e diretamente abaixo do reto. Também chamado de órgão sexual acessório, o tamanho é geralmente determinado pelo hormônio masculino testosterona e algumas outras doenças. O sêmen constitui 25-30% do fluido secretado pela próstata. Ela também fornece nutrição para os espermatozoides e ajuda na reprodução.
O câncer de próstata é mais comum em machos intactos. Os efeitos do hormônio testosterona na glândula com o tempo desencadeiam a doença. Muitas vezes, leva a hipertrofia (aumento) prostática benigna (HBP) em cães machos mais velhos. Os cães com mais de 8 anos estão propensos a desenvolver câncer de próstata.

Sinais

Os sinais clínicos podem incluir dor, apatia e perda de peso. Devido ao aumento da próstata, ela pode empurrar-se contra a parede da uretra (canal que leva urina da bexiga ao exterior), exercendo pressão sobre o pênis levando a estrangúria (dificuldade em urinar) e hematúria (sangue na urina).

Pode haver claudicação na perna traseira (isto é, mancando), coluna arqueada, postura estranha ao urinar, urgência para urinar com mais freqüência, mas que não produz urina suficiente.

Diagnóstico

Não é muito fácil detectar a doença porque esses sintomas também estão presentes em cães com outros tipos de doença renal e urinária. Muitas vezes a malignidade não é diagnosticada até chegar a um estágio avançado, quando poderia ser detectado através de testes como análise urinária, raios-X de contraste, ecografias, palpações abdominais e retais e biópsia.

O ultra-som determina se a próstata está realmente inchada ou tem pólipos (pequenas lesões semelhantes a uma verruga), cistos ou tumores que estão causando problemas. No entanto, este exame não nos diz se o tumor é cancerígeno. Então, para descobrir se este é um tumor maligno ou não, os médicos veterinários pedem uma biópsia da parede retal. Se for considerado um caso de malignidade, o exame também diz ao médico que tipo de câncer é esse.

Tratamento

Normalmente, o câncer de próstata não é acessível à cirurgia devido à sua localização. Assim, as outras opções disponíveis incluem quimioterapia e radioterapia. Se o câncer for sensível aos hormônios, ele pode ser tratado com castração. Mas, os mais recentes estudos mostram que os cânceres de próstata não são sensíveis ao hormônio.

Prevenção

Muitas pessoas acreditam que a castração previne o câncer de próstata nos cães. Na verdade, a castração, tem sim um impacto sobre a glândula prostática e evita futuras preocupações com a próstata, mas não há estudos que demonstrem que o câncer de próstata canina pode ser prevenido através da castração.

Portanto, não há medidas preventivas conhecidas contra o câncer de próstata canina, o que pode ser evitado pela castração são os inúmeros problemas de próstata causados ​​pelo impacto da testosterona na glândula. A castração, especialmente quando o cão tem menos de um ano de idade, é a melhor medida preventiva contra problemas de próstata canina.

Conclusão

O câncer de próstata em cães é considerado uma doença incomum, porém muito maligna, a taxa de sobrevivência média é de 6 semanas a 1 ano.

Publicidade

Envie seu comentário

Cães

Veja mais

Curiosidades

Veja mais

Gatos

Veja mais

Notícias

Veja mais

Saúde

Veja mais
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE